Curso bioquímica; biotecnologia industrial molecular; desenvolvimento de recursos humanos Período janeiro a março de 1990; dezembro de 1995 a fevereiro de 1996; março de 2005

Meu primeiro contato com a JICA foi em 1977, quando era bolsista em Osaka, do Ministério da Educação, Cultura, Esporte, Ciência e Tecnologia do Japão (Monbukagakusho), e ensinei português para trabalhadores técnicos japoneses que viriam trabalhar no Brasil. Em 1990 fui ao Japão a convite da JICA com um grupo de professores e pesquisadores brasileiros, e assim começou a relação entre os pesquisadores nikkeis e o Japão.

Após as nossas visitas, a JICA ofereceu uma recepção em Tóquio, à qual compareceram os convidados brasileiros, os pesquisadores japoneses e os dirigentes da JICA. No dia 14 de agosto de 1992, no campus da USP-Butantã, foi criada a SBPN, então Sociedade Brasileira de Pesquisadores Nikkeis, e hoje, Associação Brasil-Japão de Pesquisadores. A SBPN foi criada por pesquisadores nikkeis que, na ocasião, apresentavam uma produção científica bastante significativa.

Neste contexto, a participação e o apoio da JICA-Brasil foram decisivos.
Constituiu-se a primeira diretoria da SBPN, tendo como seu presidente o Prof. Shigueo Watanabe. No período de 15 de janeiro a 30 de março de 1990 participei do Programa Individual de Treinamento na área de “Bioquímica” na Faculdade de Ciências da Universidade de Hiroshima, com o Prof. Shiro Nagai, desenvolvendo o projeto de microrganismos fotossintetizantes (Chlorella vulgaris). O Prof. Nagai se entusiasmou com o projeto e colaborou intensamente, acompanhando-me nas visitas às diversas instituições e empresas privadas do Japão.

Mais tarde, seu orientado concluiu sua dissertação de mestrado nesta área. No período de 7 de dezembro de 1995 a 26 de fevereiro de 1996, como bolsista da JICA, participei do Curso de Treinamento de Pesquisadores em “Biotechnology Industrial Molecular”, na Universidade de Osaka, onde, na década de 1970, tinha sido estagiário do Ministério da Educação, Cultura, Esporte, Ciência e Tecnologia do Japão (Monbukagakusho), na Faculdade de Engenharia, nos laboratórios de Bioengenharia do Prof. Shuichi Aiba. Esse contato resultou na vinda dos professores Tadayuki Imanaka (Universidade de Osaka) e Massaru Iizuka (Universidade Cidade de Osaka) ao Brasil, estagiando em nossos laboratórios da USP.

No período de 9 de março a 18 de março de 2005 participei do Programa de Treinamento Técnico para Perito Nikkey no campo de “Desenvolvimento de Recursos Humanos” na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Kitasato e no Hospital Universitário – “Tokyo Medical and Dental”, da Faculdade de Medicina. O programa objetivava discutir a relação e a comunicação entre a sociedade japonesa e as comunidades nikkeis.

Participei da Comissão de Avaliação de Projetos da JICA-Brasil e visitei, como assessor na área de saúde, países como Paraguai, Bolívia, Peru e Equador, para avaliação de projetos dos países latinoamericanos. Também pude participar de comissões de avaliação de candidatos às bolsas de treinamento da JICA para pesquisadores nikkeis nas instituições japonesas.

No intercâmbio com a JICA, recebemos o apoio em diversos projetos da SBPN, como no caso do envio de peritos nikkeis para países latino-americanos e para países africanos de língua portuguesa. Também recebemos apoio na organização e realização de Encontros Anuais da SBPN e nos Simpósios Internacionais Brasil-Japão de Pesquisadores nas diversas áreas do conhecimento.

Sempre houve uma participação intensa dos dirigentes da JICA de São Paulo e de Brasília nestes eventos. Assim, gostaria de deixar registrado os meus mais sinceros agradecimentos pelas oportunidades que tive e que contribuíram para o meu desenvolvimento profissional, acadêmico-científico e pessoal.